Anunciando a verdade que liberta!

Rádio Online

Ouça no Spotify

Q

Jesus Cristo: O Homem

Texto Base: Filipenses 2.5-11

INTRODUÇÃO
Às vezes, quando enfrentamos dificuldades, temos a tendência de dizer: “ninguém entende como me sinto!”. Quando sofremos ou quando nos sentimos sós, rejeitados ou com medo, temos a impressão de que ninguém pode compreender a nossa dor. No fundo, todos nós ansiamos por alguém que nos compreenda, que saiba como nos sentimos e que nunca nos abandone nos momentos difíceis.
Pergunta: Alguém poderia compartilhar um desses momentos em que ninguém parecia entender aquilo que você  estava passando ou sentindo?

DESENVOLVIMENTO

A boa notícia é que essa pessoa existe e se chama Jesus Cristo. Vamos ler Fp 2.5-11:

“Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornandose semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai”. Perguntas: 
1.Quando Jesus deixou a glória do céu para nascer em uma manjedoura e viver como ser humano, de que ele abriu mão?
2. Que tipo de dor e sofrimento você acha que ele experimentou em termos emocionais, físicos, espirituais e nos relacionamentos durante a sua vida na terra?
O apóstolo João diz: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós”. Jesus, a segunda Pessoa da Trindade, o criador do universo, se fez carne (Jo 1.14), esvaziou-se, deixou sua glória, veio ao mundo e tornou-se servo. Ele habitou entre nós. Foi semelhante a nós em tudo, exceto no pecado. Sofreu fome e sede. Suportou cansaço e fadiga. Gemeu, chorou e sangrou. Humilhou-se até a morte e morte de cruz. O Filho do Altíssimo, concebido pelo Espírito Santo no ventre de uma virgem, nasceu pobre, numa família pobre, em uma cidade pobre. Nasceu num berço simples, cresceu numa casa simples e trabalhou numa carpintaria. Paulo afirma que Jesus tornou-se semelhante a nós ao assumir a forma humana e o profeta Isaías declarou que Jesus “foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento” (Is 53.3). Por esvaziar-se de si mesmo, deixar a sua glória e nascer como ser humano, podemos entender que, como nós, Jesus:

1. Enfrentou os desafios dos relacionamentos humanos. Afinal, ele nasceu dentro de uma família. Ele teve pais, irmãos e irmãs. Ele sabia o que era ser bebê, criança, adolescente e adulto. Ele sabia o que era ter amigos, como Pedro, Tiago, João, Lázaro, Marta e Maria. Por isso, ao dizermos que “ninguém me entende”, precisamos aprender a acrescentar “como Jesus”.
Ele passou por tudo que nós podemos passar e nos entende. Por isso, quando buscamos a Cristo por causa de problemas de relacionamento, ele cuida de nós (1 Pe 5.7). Ele enfrentou o fardo do trabalho diário. Será que lembramos que Jesus foi carpinteiro por mais tempo do que foi mestre ou pregador? Ele passou no mercado de trabalho um período maior do que no templo. Na época, ser carpinteiro significava ter talento, ter qualificação especializada e muitos calos nas mãos. Isso significa que ele sofreu na pele o cansaço de um longo dia de trabalho, a frustração de ter uma ferramenta quebrada e pelas desavenças na hora de receber por um trabalho executado. Jesus sabe muito bem o que significa conviver com as várias insatisfações, tentações, pressões e lutas que acompanham a nossa vida profissional. Ele sabe, porque esteve lá. Precisamos deixar que Jesus permaneça ao nosso lado no local de trabalho. Precisamos buscá-lo no meio de um dia atarefado e com humildade receber a sua ajuda, porque Ele compreende a nossa luta.

2. Ele entende a dor e o sofrimento. Ele foi ridicularizado (diziam “alguma coisa boa pode vir de Nazaré?”), muito criticado e rejeitado. Até a ressurreição, nem os próprios irmãos acreditavam nEle. Um dos seus discípulos o traiu por dinheiro e os outros o abandonaram na hora mais difícil. Ele conheceu a dor física muito de perto. Foi esbofeteado, esmurrado, açoitado e torturado. Foi tentado em tudo. Ele é mesmo familiarizado com o sofrimento. Por isso, apesar de todos os sentimentos de rejeição, dor, inferioridade, precisamos saber que temos um Salvador cheio de compaixão que nos entende e nos conforta quando ninguém mais consegue fazer isso.

Pergunta:
1. Jesus recebeu dor, rejeição e humilhação para que pudéssemos receber o perdão por todos os nossos pecados. Como você se sente ao se dar conta de que Jesus suportou sofrimentos e dores inimagináveis p or amá-lo e por querer dar-lhe a salvação?

A grande pergunta que precisamos fazer é: “Se Jesus veio em carne, esvaziou-se de sua glória e tornou-se perfeitamente homem, como viveu uma vida sem pecado, totalmente obediente a Deus e tão cheia de virtude e poder? Como podemos ser como Jesus”?

Podemos encontrar a resposta em At 10.37-38 (leia também Mt 12.28, Lc 4.1,14, Lc 5.17 e Jo 14.12):

CONCLUSÃO
Nunca estamos sozinhos em nossas lutas e dificuldades. Jesus nos entende e se compadece de cada um de nós. Ele intercede sempre junto a Deus em nosso favor. O Espírito Santo foi a fonte de todo o poder de Jesus durante o seu ministério terreno, por isso Jesus enviou-nos o Espírito Santo para estar conosco, nos transformarnos e encher-nos do poder do alto. Devemos expressar nossa gratidão por tudo o que Jesus fez por nós ao vir à terra como homem, reconhecendo-o como nosso único Senhor e Salvador, vivendo de um modo digno do que ele é e realizou por nós, adorando-o sem temor e assumindo publicamente o testemunho de sermos discípulos e servos dele. Por receber tanto amor da parte de Jesus, devemos levar o seu amor a quem sofre.
Pense em alguém que está passando por momentos difíceis, precisando de apoio e encorajamento. Comprometa-se a orar por essa pessoa, a dar um telefonema ou fazer um contato pessoal e tente descobrir um modo prático de ajudar a aliviar o seu fardo. Que tal você fazer o discipulado de João com essa pessoa?

Fonte: Igreja Batista Central / Belo Horizonte – MG
Adaptado por: Pr. Eduardo Garcia – MCEO / Baependi – MG – www.ministerioceo.com.br
Correção Gramatical: Samuel Lopes Maciel
Coordenação e Revisão Geral: Pr. Donizétti Maciel

Estudo de Célula de Agosto de 2018

[su_note note_color=”#fff369″] Receba nossos estudos em seu e-mail, cadastre-se abaixo:

Compartilhe este estudo!

+ Estudos

Coração Grato

Coração Grato

Textos Base: Salmos 126.3 INTRODUÇÃOFinda-se mais um ano e há motivos de sobra para sermos gratos a Deus. Juntos podemos dizer: “Até aqui nos ajudou o Senhor” (1 Sm 7.12). Reflita sobre quantas coisas Ele te proporcionou em 2021 e expresse a sua gratidão, porque...

Deus é o guia; vamos cumprir nossa missão sob sua direção

Deus é o guia; vamos cumprir nossa missão sob sua direção

Texto Base: Gênesis 24.7 INTRODUÇÃOEliezer, servo de Abraão, foi guiado pelo anjo do Senhor em sua missão de buscar uma mulher para Isaque. Também nós, igreja de Deus, temos uma missão e o Senhor quer nos guiar para que possamos cumpri-la com sucesso (Mt 28.19-20; Mc...

Deus é o nosso provedor

Deus é o nosso provedor

Texto Base: Gênesis 22.13-14 (NTLH) INTRODUÇÃOAbraão foi adorar a Deus levando seu filho como sacrifício para o altar. Mas o Senhor não permitiu que Isaque fosse morto, na verdade proveu um cordeiro para ser sacrificado em seu lugar. Dessa história foi revelado ao...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *